PF SPRINKLE | SEX.24 | PORTO

No 3.º dia do Portugal Fashion, já na Alfandega do Porto, as atenções dividiram-se entre os desfiles de Júlio Torcato, Vicri, Katty Xiomara , Diogo Miranda e Luís Onofre e o espaço Bloom.

JÚLIO TORCARO
"17 HORAS"
O título "17 HORAS" é inspirado nos Cockneys dos anos 70.
Desenhos e padrões geométricos, em cores neutras como bege, branco, cinza, preto, verde escuro e azul céu, em materiais como algodão, cerâmica, viscose e poliamida em elastano.

VICRI
"OS HAMPTONS"
Os Hamptons são o mote para a colecção Spring/Summer 2015 da Vicri. Esta zona balnear de luxo, situada a 200km de Nova Iorque, é refúgio exclusivo dos mais abastados, quer para férias, quer para segunda habitação.
Com base nesta premissa, nasce a colecção Vicri SS.15 quem, com a sua mestria na confecção de camisaria, desenvolveu propostas para os mais diversos requisitos de vestuário de um utópico habitante dos Hamptons.
A paleta de cores oscila entre tonalidades de pastel rosa, laranja, verde amarelo e azul e umas tonalidades mais profundas e marcantes de azul meia-noite, marinho e lilás.

TERESA ABRUNHOSA
(Bloom)
Para o período Primavera/Verão 2015, Teresa Abrunhosa parte de um imaginário oriental, onde filmes de série-B de temática feminina ninja servem de mote para a colecção. Estampados gráficos com caracteres e frases de guerra gravadas a laser surgem associadas às formas sensuais e femininas, que já fazem parte do DNA da marca, e compõem o look de "bad girl" destemida que define esta colecção.
KATTY XIOMARA
"WIRE FRAME"
Os padrões geométricos em desconstrução foram o ponto F de momentos precedentes.
A colecção apresenta um misto retrospetivo e futurista, sempre sob um olhar bastante lúcido e prático da mulher urbana. Assim como a natureza, a silhueta vai desabrochando ao longo da colecção, até chegar aos volumes mais estruturados. As cores e os materiais possuem o mesmo conceito, sendo suaves mas com uma dose sensata de intensidade. O branco é muito importante e recorta toda a colecção, enquanto o preto a contorna.

DIOGO MIRANDA
O ponto de partida desta colecção foi o vestuário masculino utilizado nos safaris, aliado à estética dos anos 70. O objectivo foi desconstruir um look assumidamente masculino, transformando-o num look bastante feminino e sofisticado.
Por um lado, temos os casacos com ombros largos, tecidos rígidos e estruturados e, por outro, temos as cinturas bem marcadas e uma silhueta bastante feminina com tecidos fluídos (em tons sana).
Cores: Ivory, azul navy, amarelo mostarda, preto e vários tons de bege.

PEDRO NETO
"BUNKER" (Bloom)

A colecção "BUNKER" reflete uma mulher clássica, subtil e acima de tudo contemporânea, que se encontra obnubilada pelas visões de Chernobyl. O acidente nuclear que tomou lugar na Europa de Leste - Chernobyl - não passa de uma visão implantada da memória da mulher, mantendo-se à mesma polida, elegante e dramática.
KLAR
(Bloom)

Aperfeiçoamento da linha estrutural, estética e funcional da marca. Continuidade e desenvolvimento marcam esta colecção. K L A R, centro.

Facebook
Twitter
Instagram
Tumblr

xo | GS

0 shared thoughts:

Post a Comment

I want to know your opinion. Thank you for leaving a comment!

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...